Entenda quais são as causas do efeito tesoura no fluxo de caixa

Entenda quais são as causas do efeito tesoura no fluxo de caixa

Se alguém perguntar qual elemento torna uma empresa referência no mercado, o que você responderia?

Apesar de não existir uma solução única para essa pergunta, uma das respostas, com certeza, seria: o pensamento em longo prazo. Assim, os gestores precisam estar sempre atentos à saúde da empresa e prezar pela sua longevidade.

No entanto, muitas vezes os “sintomas” de algum problema não são evidentes. Uma empresa pode estar vendendo mais e captando clientes, ao mesmo tempo em que se endivida. Portanto, gerenciar o capital de giro, identificar e evitar o efeito tesoura, devem ser prioridades do negócio!

Você gostaria de aprender mais sobre o assunto? Então, continue lendo e entenda o que é o efeito tesoura e como identificá-lo na sua empresa!

O que é o efeito tesoura?

Primeiramente, precisamos definir dois conceitos: Saldo de Tesouraria (T) e Necessidade de Capital de Giro (NCG).

O T é um indicador que diz se a empresa tem dinheiro suficiente para cumprir suas obrigações financeiras de curto prazo. Já o NCG indica a quantidade de capital que o empreendimento precisa dispor para manter as operações do negócio.

Você deve estar se questionando da importância desses indicadores para o tema, não é mesmo? A resposta está na definição do efeito tesoura, uma vez que esse fenômeno aparece quando o NCG cresce e o T decai, simultaneamente. Isto ocorre quando  quando a empresa financia a maior parte da NCG através de créditos de curto prazo. Nesse caso, o saldo de tesouraria (T) se apresenta negativo e crescendo, proporcionalmente mais do que a NCG.

Quando esse efeito ocorre, seu empreendimento está exposto a vários riscos financeiros. Daí a importância de identificar as causas e prevenir a incidência desse problema.

O que causa o efeito tesoura?

Crescimento do volume operacional sem boa gestão

Muitas vezes, é propagada a falsa premissa de que apenas o aumento das vendas proporciona bons resultados para a empresa. Mas, na realidade, o crescimento do volume operacional sem uma boa gestão pode causar um grau elevado de alavancagem operacional — quando os custos fixos superam o lucro obtido com as vendas.

Nesse aspecto, o papel do gestor é essencial. É importante implementar uma visão holística no negócio, o que proporcionará uma maior sinergia entre os setores. Ademais, você deve possibilitar treinamentos para sua equipe para capacitá-la — cursos à distância podem ser uma ótima solução!

Não utilizar ferramentas de análise

A sua empresa faz uso de ferramentas de análise? Se não, o seu negócio pode estar perdendo oportunidades de investimento, além de assumir um risco financeiro desnecessário!

Essas ferramentas auxiliam no entendimento da situação atual da empresa, do desempenho ao longo do tempo e da velocidade de crescimento. Elas podem oferecer indicadores importantes para a tomada de decisão.

Com a adoção de ferramentas de análise de capital de giro, por exemplo, você evita o efeito tesoura e ainda descobre como melhorar os resultados econômicos e financeiros.

Grande dependência de capital de terceiros

Antes de optar por uma modalidade de investimento é imprescindível que a empresa compreenda seu ciclo financeiro e os prazos e taxas incorridos em um financiamento. Afinal, a grande dependência de capital de terceiros é uma das causas mais frequentes do efeito tesoura.

O problema ocorre quando esses recursos se transformam em elevadas despesas financeiras e que reduzem o lucro da sua empresa.

Aqui, é importante um esclarecimento: a utilização de capital de terceiros não é o problema, mas sim a dependência desse recurso e a falta de planejamento e de entendimento do fluxo de caixa. O que nos leva à próxima causa.

Não monitorar o fluxo de caixa constantemente

Dada a importância dessa ferramenta financeira, não é difícil imaginar os problemas que a falta do seu monitoramento pode causar. Suponha, por exemplo, que você precisa pagar uma conta no final do mês, mas o pagamento de um cliente estará disponível apenas no mês seguinte.

Com o monitoramento do fluxo de caixa será possível adotar estratégias e evitar o pagamento de juros. Caso contrário, o Saldo de Tesouraria da sua empresa pode estar diminuindo sem que você perceba.

Portanto, avalie seus indicadores, utilize ferramentas de análise, consulte blogs renomados sobre gestão de empresas e evite o endividamento. Com essas ações você diminuirá ou, até mesmo, eliminará o efeito tesoura.

Gostou do post? Então, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude mais gestores a se prevenirem contra esse risco!


Advogado, contador, matemático, auditor e perito contábil. Professor, Especialista em Direito Empresarial, Administração Financeira e Matemática Aplicada. Mestre em Administração de Empresas. Presidente do Grupo Fortes de Serviços.

Compartilhe

Posts Relacionados

Receba novidades por e-mail